Programas

Expandir as fronteiras da vida demanda investimentos em processos de longo prazo. Por isso, privilegiamos trajetórias que possibilitam o estabelecimento de relações estáveis de confiança envolvendo o nosso trabalho com povos, comunidades parceiras, financiadores e redes de parcerias.

Nossa experiência tem se organizado em em três programas que se interconectam na construção de nossa visão de futuro.

O Fronteiras se organiza por meio de redes de cooperação envolvendo comunidades, instituições privadas e públicas e organizações da sociedade civil com fundamento em três eixos:

Aprendizagem Transformadora

Valorizamos processos de aprendizagem que emergem das situações e problemas cotidianos da vida das pessoas. Processos transformativos se tornam perenes apenas quando a aprendizagem se conecta às suas aspirações e necessidades concretas, capazes de continuamente prover as condições necessárias para melhorias de eficácia e eficiência no alcance dos resultados desejados.

O Fronteiras trabalha para a convergência de conhecimentos tradicionais e novas tecnologias na consolidação de trajetórias que exploram as vantagens comparativas das comunidades em seus territórios para a ampliação dos impactos das nossas iniciativas. Com isso, impulsionamos trocas entre alteridades regenerativas que enriquecem e valorizam os conhecimentos tradicionais tornando possível a construção de soluções compartilhadas contextualizadas, sustentáveis e inovadoras.

O “Voz do Liberdade” é um livro escrito a partir de relatos orais das memórias coletivas das Comunidades Periquito, Morro da Pedra, Forquilha, Guarani e Cavanhaque da Reserva Extrativista do Riozinho da Liberdade que foram coletadas, rememoradas, transcritas, revisadas e organizadas criando um novo e criativo relato histórico da vida neste território a partir do olhar dos seus próprios moradores. É a história contada e reconstruída por quem a viveu no passado e a segue vivendo no presente, num esforço de ecoar uma “Voz do Liberdade”respeitando as peculiaridades dos  relatos de cada morador-autor. Um verdadeiro processo coletivo que abrangeu vivências de rememoração coletiva, seleção das histórias a serem coletadas, transcritas e editadas e que ao final do processo incluiu esforço de organização e lançamento envolvendo as comunidades e outras instituições parceiras, com o mínimo intervenção externa no discurso que foi publicado.

Instituições Regenerativas

Instituições são práticas reiteradas que organizam nossa vida em sociedade. Às vezes, podem ser disfuncionais quando atrapalham as mudanças necessárias para alcançarmos uma vida melhor e mais sustentável. Neste eixo, promovemos ações de mudança institucional em rede facilitando a construção de trajetórias transformadoras que ressignificam os limites para a construção de novos futuros possíveis dentro das comunidades e que, ao mesmo tempo, valorizam a manutenção da floresta em pé, inclusive do ponto de vista da sua viabilidade econômica.

Esta iniciativa foi planejada e executada em colaboração com os povos indígenas Ashaninka e Puyanawa, bem como com pessoas não-indígenas de comunidades ribeirinhas. Procuramos ampliar projetos de reflorestamento, identificando e agindo em padrões institucionais degenerativos associados à destruição da vegetação natural nas margens de rios (áreas de APP) e estradas. Iniciamos esse trabalho em 2020, com um projeto de berçário de mudas de árvores nativas na TI Puyanawa. Apoiamos a consolidação institucional das iniciativas de reflorestamento lideradas por Benki Piyãko Ashaninka nas margens do rio Juruá.

Mediações Territoriais

Neste eixo, atuamos para a construção coletiva de soluções para conflitos territoriais que antagonizam destinações do seu uso e delimitações de responsabilidades e competências dos envolvidos. Abrange a delimitação territorial de direitos de posse e de propriedade nas comunidades e dentro dos órgãos competentes, bem como a organização territorial de ações que promovam a regeneração da paisagem em conflito com iniciativas destrutivas que abrangem práticas como o desmatamento e as queimadas ilegais, a grilagem de terras e a abertura ilegal de estradas locais.

O Fronteiras apoia o Instituto Yorenka Tasorentsi, liderado por Benki Piyãko Ashaninka, no seu processo de consolidação institucional e de fortalecimento do alcance das suas ações no território voltadas à proteção das suas florestas e à inclusão das comunidades locais em projetos de sustentabilidade socioambiental. Desde a fundação do Yorenka Tasorentsi, o Fronteiras contribuiu para a elaboração de seus projetos, para o levantamento de recursos, para a sua constituição jurídica e elaboração do seu estatuto, para a regularização e aquisição da sua sede na zona rural de Marechal Thaumaturgo, dentre outras ações em contexto de pandemia.

Acesse a nossa biblioteca

Outras Oportunidades

Estamos sendo convidados a  aumentar nosso raio de atuação.

Como a Amazônia tem tamanho e problemas em dimensão continental, incentivar e dar suporte a processos que auxiliem na ampliação das fronteiras da vida faz parte constante do nosso leque de oportunidades.

Entre em contato conosco para saber sobre parcerias possíveis!